sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Canta-me

Desejo teus jovens sorrisos
teus furtivos olhares
tua voz em meu ouvido

Teu toque é distante ideia
que me traz arroubos de desejos
que eu não sabia mais ter em mim

Canta-me tua canção
chama-me tua pelo nome
enquanto nas cordas do violão
teus dedos imaginam minha pele

quarta-feira, 17 de julho de 2013

farsa

quando é que vou me despir
das máscaras que vesti para me esconder?
quando vou me livrar
das mentiras que pintei pra não sofrer?

eu vivo em cenários
trajo figurinos, 
traço roteiros e histórias
com um final mais feliz que o meu

o fim que eu não sei
mas que eu adivinho
o fim que eu desvio
nas rimas pobres desta farsa que inventei