quarta-feira, 9 de março de 2016

(sem título)

Chegados os dias futuros
Em gotas transformados em presente
O que era plano se tornou diário
Mas o que se mostra é tão vazio
E eu despida de todos os sonhares
me vejo morrendo em tuas mãos

segunda-feira, 7 de março de 2016

Deseo en bando

Tuas memórias me vêm quando não espero
depois de tanto esperar-te
e de ti, na espera perder-me

Surgem em bando
teus recuerdos doces
de um deseo que, estendido,
de tão grande se fez temor

Hoje te encontro em palavras antigas
em um rosto que apenas me sorri estático
e meu deseo de ti se perdeu.

Resta-me a esperança de 
algum dia
novamente poder desejar
como nos nossos dias de espera,
de euforia,
de êxtase.



[de um rascunho esperando há quase dois anos...]


As noites

Não,
as noites não são dos amantes.

Elas são dos fantasmas
aqueles que nos acordam
em arroubos de memórias
e nos levam o sono e a paz.