quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Atire!

Quero aprender a dizer palavras
aquelas palavras que precisam ser ditas
sem temer o pensamento ou reação de ninguém.

Quero atirar as verdades doloridas,
como dardo ao alvo,
como tiro certo na cabeça do inimigo,
para matar o tormento de contê-las
e também os motivos que as provocam.

Quero não ter medo de ser de verdade
de ser gente,
de tentar e falhar,
de ousar e criar,
de caminhar buscando chegar.

O que há em mim já não se contém.
Meu peito,
a ponto de explodir,
arde em fogo que não se vê.
Mas eu sinto.

Sou arma de fogo,
bala de revólver,
gatilho pronto para atirar.

domingo, 15 de novembro de 2009

Realidade

Acorda, menina!
Você não tem mais 15 anos,
mas não tem cinquenta ainda.

[ou seja, nem brincar de casinha e nem educar filhos...]

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Quem sabe?

Dizem que quando é
a gente sabe
simplesmente sabe.
A gente não pergunta
não questiona
não duvida.
É. Ponto.

Sempre me iludo em achar,
mas na verdade nunca sei.
Tantas vezes achei que sabia
e agora já não sei mais...

Saberei que sei quando chegar a saber?

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Meu

Venha me acompanhar
em um dia de sol e de mar
venha descobrir comigo os doces da vida
venha buscar comigo a luz
quando tudo for sorriso e alegria
Seja meu amigo

Venha me buscar
em uma noite escura e sem luar
venha afastar meus medos e monstros
venha me trazer paz
quando eu me sentir pequenina e frágil
Seja meu heroi

Venha me confortar
em uma manhã iluminada ao despertar
venha acordar às delícias de um novo dia
venha me envolver em seu abraço
quando tivermos um único respirar
Seja meu amor

Seja meu

domingo, 1 de novembro de 2009

Pedaços de canções (7)

Sometimes
all I need is the air that I breathe
and to love you