quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Transmutação

A lágrima daquilo que não foi
é o sorriso daquilo que ainda poderá ser.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Na cama vazia

Chega a noite e não consigo dormir.
Sozinha no escuro do quarto,
na cama busco um abraço
que eu sei que não vou encontrar.
Quero teu carinho,
quero tua segurança,
quero ouvir sonhos de um nós dois.
Mas você não vem...
você não ouve...
você não fala...

Minha noite é madrugada
porque deitada na escuridão,
na cama vazia e gelada,
meu único abraço é a solidão.

Voar

A vida passa, a vida voa.
Já cansei de viver a vida de outra pessoa.
Pode ser que eu siga sozinha,
pode ser que eu não saiba aonde vou chegar.
Mas farei o meu próprio caminho
agora é a minha vez de voar.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Inconstância

Eu corro até a beira do penhasco
disposta a me lançar no vazio e voar
mas, subitamente,
paro.
Mudei de ideia:
vou na direção contrária
encontrar o rio e nadar
mergulhar nas águas mais profundas
e me afogar.
Então corro.
Lá chegando, à beira da cascata,
prestes a me lançar às águas
subitamente
eu paro.
Mudei de ideia:
não quero mais nada.
Quero ficar onde estou.
Não, não!
Quero viver no deserto,
ou melhor,
na selva,
ou, não, melhor ainda,
numa geleira.

Ah, inconstância!
De onde vêm tantos desejos contrários,
tantas incertezas,
tanta insegurança?