domingo, 21 de novembro de 2010

Sei lá... (15)/Pedaços de canções (9)

... porque meu único desejo na vida
é poder sempre estar cercada pelos meus amores.

"porque metade de mim é amor/e a outra metade também"
(Metade - Oswaldo Montenegro)

[sentindo que são os meus amores que me definem: as pessoas que eu amo, as coisas que amo fazer, os lugares onde amo estar...]

sábado, 13 de novembro de 2010

Pedaços de canções (8)

What you don't have you don't need it now
What you don't know you can feel it somehow
What you don't have you don't need it now
You don't need it now

(Beautiful Day - U2)

[me faz lembrar de um ditado que encontrei escrito em uma velha caneca de chopp abandonada na casa do meu vô na praia... "se depois do inverno vem o verão, por que se aflige o bom cristão?", e também uma frase que minha mãe sempre me diz quando algum desafio parece maior do que a força pra superá-lo: "o que é teu às tuas mãos virá".

É, pois é. Não que se vá assumir uma atitude conformista, de esperar as coisas caírem do céu, de desistir delas se não acontecerem, ou simplesmente se deixar levar pelo caminho mais fácil... mas sim investir e confiar nas voltas que o mundo dá, sem ficar ansioso por não conseguir o que se quer no tempo que se quer.

Nem sempre o que a gente deseja é bom pra gente em determinado momento. Alguns aprendizados demoram a se manifestar, e só então é que certas coisas podem acontecer na nossa vida. É importante analisar a si mesmo e às situações, observar os sinais, tentar entender o porquê de não acontecer como a gente quer - buscar uma visão mais ampla do contexto de vida que vamos criando pra nós e a que ponto ele pode depender de atitudes unicamente nossas ou do resto do mundo à nossa volta.

O contrário também pode acontecer: uma coisa que não desejamos, ou sequer imaginamos possível, chegar de repente na vida e gerar todo um novo movimento... às vezes a gente não quer, mas é o que, no fundo, a gente andava precisando.

A gente até tem algum controle... mas o universo é grande demais pra gente achar que consegue controlar tudo que nos acontece.

Os pensamentos ainda estão fervilhando, se acotovelando pra sair da minha mente e virar palavras, mas acho que por agora já matei uma pontinha da vontade de expressar o que senti sobre isso. Já que ninguém vai ler mesmo, pelo menos dei chance pra algumas palavrinhas que fizeram questão de existir. O resto vai continuar aqui na minha cabeça mesmo. Sonolenta cabeça. Deixo pros sonhos resolverem o resto. Portanto, boa noite!]

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

mais um sem título

Uma coisa que era pra ser boa não devia tirar o sono da gente.
Uma coisa que era pra ser boa e tem tudo pra ser boa, menos alguns detalhes, não devia tirar o sono da gente.
Talvez os detalhes sejam muito maiores do que deveriam ser...
mas ainda assim, isso não devia tirar o sono da gente.

No momento há motivos muito maiores pra eu não conseguir dormir.
Apesar disso, uma das poucas coisas que era pra me deixar sonhando
é justamente aquilo que me tira o sono agora.


[acho que já vi esse filme algumas vezes, e nunca gosto do final. Escrevo por aqui, porque não dá coragem de falar nada, e aqui tudo sempre consegue sair tão neutro e inofensivo... Mas só o fato de ter que recorrer a este espaço pra aliviar alguma coisa já indica o quanto a situação está errada. "Uma dúvida já é uma certeza", me disse uma vez um sábio amigo... Mas certeza de quê, exatamente? Alguém me ajuda a convencer a minha cabeça de que eu não vou conseguir responder esta noite e, por isso, não adianta não dormir? Ok, ninguém vai ler mesmo... Então vou lá tentar contar carneirinhos de novo. Bons sonhos aos sonhadores!]

sábado, 6 de novembro de 2010

Saudades erradas

Não adianta tentar me iludir,
se me pego sentindo saudades que eu não queria sentir,
e aquelas saudades que eu esperava ter
andam custando demais a aparecer...