segunda-feira, 11 de julho de 2011

Literatura

Sim, eu faço literatura.
Um pouquinho de literatura,
pra deixar os fatos mais legíveis.
Só um pouquinho de literatura,
pra deixar a vida mais vivível.

O trem

Acho que agora entendi
Essa agonia de querer fugir de ti.

Não aguento mais ser essa criança que testemunhas,
não aguento mais ter medo sem razão,
não posso mais ficar ao sabor da disposição alheia.

Cansei de esperar o trem que nunca passa,
enquanto eu só vejo o tempo ir embora,
parada nesta estação...

Quero voltar pra minha casa
Quero sobre meus próprios passos chegar onde quero ir
Quero as plantas na janela, um cãozinho no quintal.

Quero teu dia e tua noite, teu sono e tua insônia
Quero ser quem te faz bem, teu retorno cotidiano
Quero teu amor pra mim.

Chegar ao meu mundo, meu destino.

Já não consigo mais esperar passar o trem...

sábado, 9 de julho de 2011

(des)encontros

Quando me perco de mim
perco-me de ti
e então encontro-me outra vez.

A distância de ti
faz-me querer-te de volta
e no fundo do coração anestesiado
encontro aquilo que havia perdido:
um fiapo de amor possível
por mim
por ti
por nós.