sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Resoluções de ano novo

Oi.

Pois é. Passei muito tempo longe daqui. Tava por aí, enfrentando uns leões - uns meio filhotes, admito... Tava tentando desajeitadamente viver, totalmente cambaleante e sem inspiração.

Tava me sentindo sem sonhos. Logo eu, que sempre fui tão sonhadora, romanticamente romântica, cultivando uma utopia aqui, outra ali, entre lágrimas e palavras bonitas tentando construir um lugar pra olhar no horizonte.

... E de repente tudo isso desapareceu. Cinza, silencioso e insípido, um deserto de cimento na minha imaginação.

Os sonhos foram embora. Não há nada mais a esperar. Zero. Aridez total.

Coisa triste, fim de ano sempre faz a gente pensar, mesmo que a gente tente evitar esse clichê - é mais forte que a vontade. Aí eu me entreguei e deixei os pensamentos fluírem (coisa que eu não fazia há muito tempo).

Talvez fosse essa a peça faltando: deixar fluir, soltar a rédea, perder um pouco (só um pouco) o controle.

Então, uma constatação aflorou. Eu não sonho mais porque os sonhos já estão aqui - eles já são reais. Só que estou perto demais pra reconhecer. [escrevo mais sobre isso outra hora, daqui sai verso!]

Pra agitar um pouco a imaginação, resolvi parar um pouco pra contemplar. É. Contemplação - os monges, freiras, padres, gurus... esses ensinam a gente a ficar quietinho, ouvir, observar, abrir os sentidos praquilo que a realidade mostra nesse momento.

E decidi que 2012 precisa de uns sonhos novos. Metas, pra fazer a roda girar, pra ter de novo um horizonte pra onde olhar. Ok. Vamos lá!

Metas materiais:

1. Ter menos: descarregar o ambiente de coisas que não uso mais, ou que atrapalham; limitar compras a ítens realmente necessários.

2. Economizar: começar a guardar dinheiro para um objetivo maior, como meu próprio apartamento; estabelecer uma cota mensal, tendo abatido as despesas regulares com casa, médicos, alimentação, transporte, etc.

3. Limpar o guarda-roupa: tem a ver com ter menos, mas vai um pouco mais além; meu guarda-roupa deve funcionar pra mim de acordo com minhas e combinar com a minha personalidade, em vez de ter uma centena de peças enconstadas esperando pelas minhas mudanças de humor - e de manequim. Meio fútil, mas no fundo nem tanto.

Metas para "edificação pessoal ":

1. Descoisificar a mim mesma: não me tratar como uma coisa que precisa ser consertada, exigida até o limite, sem sentimentos e pronta pra servir aos objetivos para os quais foi construída. Eu sou um ser humano capaz de sentir emoções que não devem ser sufocadas, sob ameaça de virarem algums monstro dentro de mim, e tenho direito a me sentir cansada e a pedir pelas minhas necessidades.

2. Descoisificar os outros: não tratar os outros como coisas que precisam ser consertadas, exigidas até o limite, sem sentimentos e prontas pra servir aos objetivos para os quais foram contruídas. Ou... "não fazer aos outros o que não quer que seja feito consigo mesmo".

3. Preocupar-se com o que vale a pena: não perder tempo sofrendo por antecipação com coisas que provavelmente não vão acontecer.

4. Investir o tempo, em vez de passar o tempo: escolher atividades que sejam estimulantes, tanto profissional como pessoalmente, e investir tempo nelas - tentando me divertir, gostar do que estou fazendo - em vez de me gastar todo o tempo livre "esfriando a cabeça" em jogos de computador... (shame on me, isso aconteceu muito ano passado...)

5. Resgatar minhas diversões de adolescente: quando eu era feliz e não sabia... Que bom que algumas coisas a gente pode refazer, né? E se alguém pensa que minhas diversões de adolescente incluíam uma "vida loca", paixões estonteantes e muito rok'n'roll... enganou-se! Eu era devoradora de livros, e isso me fazia feliz demais! Gostava de passar tardes tocando piano e cantando - e era divertido, antes de virar obrigação de trabalho e subitamente desaparecer qualquer prazer em fazer isso. Ouvia música com gosto, desenhava com 48 cores de lápis, escrevia contos que nunca pensei em publicar, fazia teatro, abria enciclopédia aleatoriamente só pra aprender uma coisa nova... Tanto prazer nisso, e tudo tão simples de fazer!!!

O mais importante é isso... agora, os detalhes, esses e guardo pra mim. Onde cada coisa se aplica é matéria pra eu tentar voltar a escrever. Oba!!

Desenho de mim

De não em não
De sim em sim
...
assim é que desenho a mim